Palestras Motivacionais

Palestras Motivacionais
Disponível no ClubedeAutores.com.br, nas melhores livrarias e em e-book na iTunes.

Workshop: Preparando-se para empreender no segundo tempo da vida

O workshop "Preparando-se para empreender para o segundo tempo da vida: Empreender na aposentadoria" é voltado para ajudar a equipe no processo de desenvolvimento de um novo negócio. Especialmente desenvolvido para profissionais que desejam se aposentar e continuar profissionalmente ativos desenvolvendo um negócio próprio. Veja abaixo o programa deste workshop que pode durar de quatro a dezesseis horas, dependendo da necessidade da empresa.


1. Gerar Ideias

Muitas ideias logo de início demonstram ser inviáveis e podem ser descartadas para evitar o custo de análise dos próximos passos. A pergunta inicial é:

Vale a pena investir na avaliação desta ideia?

Onde buscar recursos para novas ideias de negócios:


  •          Colegas nas empresas onde trabalhou
  •          Reclamações e problemas apontados por clientes
  •          Pesquisas de mercado
  •          Análise de empresas e serviços de possíveis concorrentes
  •          Informações de vendedores e representantes do segmento
  •          Inventores e advogados de patentes
  •          Laboratórios de universidades
  •          Consultores de negócios
  •          Agências de marketing
  •          Publicações setoriais
  •          Livros e filmes de ficção científica
  •          Instituições como SEBRAE, SESC, SENAI, SENAC etc.

2. Seleção de Ideias
As ideias que restarem da fase anterior são analisadas para verificar se estão de acordo com os Objetivos, Estratégias e Recursos do empreendedor. As que não se enquadrarem são reprovadas neste estágio e descartadas. A pergunta aqui é:

Está de acordo com nossos objetivos, estratégias e recursos?


3. Desenvolvimento de Conceito

Antes de um negócio existir é preciso desenvolver um conceito. A criação de uma empresa voltada à moda gira em torno do conceito do desejo e fantasia envolvidos no vestir, e não exatamente o material do que o vestido era feito. O vestido não é o produto da confecção ou butique; o produto é intangível. Conceito é a imagem que será preciso criar na mente do cliente ou a contrapartida de seu desejo. A pergunta aqui é:

O cliente irá desejar isso?

4. Teste de Conceito

Neste ponto é preciso testar o conceito, pois as ideias que não tiverem um conceito claro e viável devem ser abandonadas neste estágio. O teste do conceito pode ser feito por meio de pesquisas e reuniões com amostragens de possíveis clientes, em grupos de amigos ou usando as redes sociais. Verifica-se o conceito em termos de benefícios, necessidades ou problemas atendidos, concorrência, preço, desejo de compra, utilização etc.

O teste pode envolver uma análise de modalidades para determinar se o conceito se aplica mais a uma ou outra modalidade. Por exemplo, uma pizzaria pode ser mais viável no modo delivery do que como restaurante ou vice-versa.

5. Desenvolvimento da Estratégia de Marketing

Mesmo antes da criação do negócio a ideia deve ser viável do ponto de vista de execução, implementação e comercialização. As perguntas neste estágio são:

É possível (tecnicamente, economicamente, culturalmente, etc.) criar um negócio assim?
É possível comercializar um produto assim?

Aqui entram análises econômicas e pesquisas de mercado. Boa parte das ideias já foram eliminadas nos estágios anteriores, pois aqui o custo de análise já é maior.

O plano para lançar se entrar no mercado pode ser dividido em 3 partes:

a) Descrição (tamanho, estrutura e comportamento do mercado, posicionamento da empresa e do produto ou serviço, metas de vendas, participação no mercado, lucro etc.)

b) Preço planejado, estratégia de distribuição e volume de investimentos no primeiro ano.

c) Metas de vendas e lucros de longo prazo e estratégia de mix de marketing de longo prazo.

6. Análise do Negócio

De posse das informações de viabilidade econômica de produção e de viabilidade de comercialização do produto ou serviço, incluindo suas estratégias e esforços, a pergunta passa a ser:

Isso atende as metas de lucro?

Boas ideias podem ser abandonadas aqui simplesmente porque o mercado não é grande o suficiente, a margem de lucro é pequena ou o mercado pode ficar saturado em curto prazo. O fato de um empreendedor descartar uma ideia não significa que outro empreendedor, com uma diferente bagagem, background e capacidade de investimento não possa aproveitá-la.

Com base em estimativas de faturamento pode-se fazer aqui cálculos estimados de vendas totais, custos e lucros. Na equação entra receita, custo, margem bruta, desenvolvimento, marketing, indiretos, etc.

7. Desenvolvimento do Produto ou Serviço

Aqui é feito um protótipo e é verificada, na realidade, a possibilidade técnica e comercial do produto ou serviço (o que havia sido analisado em teoria no estágio 4. A pergunta é:

As dificuldades técnicas foram superadas?
Existem barreiras para a comercialização?

Por exemplo, neste estágio pode-se concluir que a ideia quando transformada em produto carece de matéria prima ou componentes que tornem o produto viável. Pode-se descobrir neste ponto que o investimento em pesquisa e desenvolvimento está além da capacidade do empreendedor. Podem também ser encontradas barreiras técnicas à sua comercialização.

No exemplo da pizzaria aqui são criados os diferentes tipos de pizza e estas produzidas em caráter experimental e em diferentes versões, levando em consideração os desejos do cliente que se pretende atingir.

8. Teste de Mercado

As ideias que sobraram se transformaram talvez em um único negócio neste estágio. Começa uma pré-produção, onde são fabricados lotes limitados do produto para testes de mercado ou oferecidos serviços em caráter gratuito a grupos de formadores de opinião.

Geralmente escolhe-se um bairro, cidade ou região, ou um segmento da população, para lançar o produto ou serviço e medir a receptividade do público. Alguns produtos ou serviços são neste ponto também testados quanto às suas qualidades. Se um produto não foi bem aceito pelo mercado em uma área experimental, pode não compensar investir na produção em larga escala. Alguns produtos ou serviços não são simplesmente descartados nesta fase, mas passam por alterações de projeto ou modo de fabricação.

9. Comercialização

Finalmente o produto ou serviço entra em comercialização em larga escala. Ainda assim, defeitos descobertos só nesta fase podem exigir alterações (volta para a fase 7 de Desenvolvimento de Produto ou Serviço), recalls (produtos recolhidos do mercado para substituição ou reparo em grande escala) ou até podem ser abandonados depois de se transformarem em fracasso de vendas.

Esta é a etapa final de mercado, quando é preciso planejar o momento, lugar, para quem e como lançar o produto ou serviço.


Copyright © 2013 Web Design by DebbieNavarro